The Revenge

A vingança doce e meio amarga que lhe corrompe me faz feliz. Porque não sou eu, de fato, que vou levar a culpa eterna por algo que não fiz. Cheiro de terra molhada. Cheiro de chuva. Em tais meios de comunicação o que é visto é maldade, inocentemente careta. Apesar de todos os caminhos levarem a Roma, pode ser que este não seja o seu lugar. Pode ser que esteja determinado a mudar mesmo sem saber que o incerto é, na verdade, o certo. Feito de segredo com purpurinas amarelas e rosas. Feito do meu amor por você. Que se aflora cada vez mais, crescendo e sendo importante pra mim. Confusões ainda são vistas como nada sério. Sendo que o que tem que ser levado a sério é tudo isso. São os anos que se passaram e não voltam jamais. Mais alto que o alto da super montanha, posso enxergar todos os efeitos que a vida pode entregar e mandar para outros lugares. Remetentes diferentes, mesmo sentimento. Culpa. Sem desculpa. Amor. Sem dor. Nuvem preta. Poeta sem treta. Ideias obscuras que não saem daqui. Como pode um sistema completo e com tudo para dar certo, simplesmente dar errado? Pode ser troco da vida suburbana que muitos dos envolvidos viveram em suas vidas passadas e atualmente o espírito da vingança quer isso de volta. A dignidade de volta. Sem concluir todos os motivos. Todas as sabedorias. Todos os sentimentos de dúvida e de comentar para tudo e todos que eu avisei. Bem típico. Bem… eu avisei.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s